geral@bancodobebe.org  .  21 357 18 05

Apoio Psicossocial

O Apoio Psicossocial do Banco do Bebé nasceu em 2013 na sequência do aumento de pedidos de ajuda de famílias com bebés e crianças dos 0-6 anos de idade em situação de grave carência económica. Era necessário não só responder às necessidades imediatas de famílias que nos contactavam directamente, como também ajudá-las a encontrar soluções para saírem da situação precária em que se encontravam.

Neste sentido o Banco do Bebé contratou uma Assistente Social que, em conjunto com a equipa do Apoio Domiciliário e do Banco de Bens desta Associação, presta apoio às famílias que recorrem ao nosso apoio respondendo não só às necessidades imediatas expressas pelas famílias para os seus bebés, como também ajudando a família a desenvolver o seu projeto de vida por forma a poder desenvolver recursos para se auto-sustentar.

 

A) Objectivos do Apoio Psicossocial

  • Elaborar um Diagnóstico Social, identificando e despistando situações no âmbito psicossocial e relacional, de carência económica e/ou outras problemáticas, elaborando um plano de intervenção e parecer técnico para a solução dos problemas identificados.
  • Articular com instituições da comunidade com vista a perceber respostas sociais existentes.
  • Acompanhamento, orientação e aconselhamento psicossocial face aos problemas identificados, promovendo a participação ativa das famílias no processo de resolução dos seus problemas, potencializando capacidades e rentabilizando recursos.

 

B) Metodologia de Implementação

Os casos podem ser sinalizados por instituições parceiras, pelo apoio domiciliário do Banco do Bebé (famílias com alta desta intervenção mas ainda em situação de precaridade económica), ou surgir através do contacto direto das famílias com a nossa Associação e encaminhados para a Assistente Social do Banco do Bebé.

A Assistente Social reúne as informações sociais através dos parceiros, ou equipa do domicílio; no caso do contacto direto da família, é agendada uma primeira entrevista com a família para conhecer a sua situação.

Na primeira entrevista fica agendada uma visita domiciliária que é realizada pela Assistente social do Banco do Bebé e 1 voluntária; durante esta primeira visita é também feito um levantamento das necessidades da família, expectativas, e o levantamento dos seus recursos formais e informais no sentido de ajudar a estabelecer ou fortalecer uma rede comunitária de apoio à família.

A Assistente Social estabelece com a família um plano de intervenção que pressupõe atendimento mensal de ponto de situação no qual são estabelecidos objetivos e respetivas atividades para atingir estes objectivos; a assistente social como parceira da família neste processo, ajuda ao estabelecimento de contactos com a comunidade para estabelecer uma rede de suporte que permita ajudar a família no seu processo de autonomização.

São realizadas reuniões internas de análise e discussão dos casos

 

C) Metodologia de Intervenção

Após o primeiro contacto da família ou da instituição parceira, é agendada uma entrevista social com a família onde é realizado um diagnóstico social. Este diagnóstico tem como objectivo realizar uma avaliação pormenorizada onde são avaliadas as necessidades sentidas pela família e planifica-se um projecto de intervenção onde são delineados objectivos. Estes objectivos têm que ser claros e exequíveis, incentivando a família à participação ativa no seu próprio processo de mudança e na resolução dos seus problemas.

Após a estrevista social realiza-se um contacto com instituições da comunidade onde a família possa estar a ser acompanhada. Este contacto é importante para que não exista uma sobreposição de recursos.

Neste acompanhamento psicossocial é realizada uma visita domiciliária. A visita domiciliária é usada como um instrumento potenciador do conhecimento das condições do quotidiano das famílias, o ambiente de convivência familiar e comunitária. Estas visitas têm como objectivo não só conhecer as condições habitacionais mas também perceber outros aspectos cruciais que podem não ser relatados em atendimento social, como o tipo de relação estabelecido entre os diversos membros da família (especialmente pais-bebé).

O acompanhamento psicossocial com as famílias é realizado mensalmente. As famílias dirigem-se ao Banco do Bebé onde em atendimento social é feito o acompanhamento da situação familiar. As famílias recebem bens essenciais para o seu bebé.

Cada família é uma família, com histórias de vida, valores e culturas diferentes. Assim sendo, os critérios para adquirir estes bens diferem de família para família.

 

D) Avaliação e Alta

São realizadas reuniões mensais de equipa técnica interna onde são discutidos os casos de acompanhamento psicossocial e delineadas estratégias de futura intervenção.

Não existe tempo fixo de acompanhamento psicossocial. Sendo que, cada família tem o seu ritmo e tempo. A proposta de alta é realizada em conjunto com a família onde são revistos os objectivos delineados ao longo da intervenção e se foram cumpridos a família está autonoma e pronta para deixar o apoio psicossocial.

Associe-se a nós

Torne-se nosso associado:

(Pagamento de quota através de transferência bancárias para NIB Montepio Geral – 0036 0334 99100000762 08)

CLIQUE AQUI

Seja Voluntário

O serviço de voluntariado foi criado em 1991

Torne-se voluntário/a do Banco do Bebé.

Seja voluntário:

CLIQUE AQUI

Os nossos contactos

Maternidade Dr. Alfredo da Costa, Rua Latino Coelho | 1050-135 Lisboa (ver mapa)

Tel: +351 21 357 18 05
Fax: +351 21 352 01 41

Tlm: 96 483 44 12

geral@bancodobebe.org

Todos os dias úteis das 9h30 às 13h30